(47) 3247 0330 (47) 9.9643 5232 (47) 9.9985 6101

Encontre seu imóvel: Tipo:  Negócio: 
Cidade:  Ref: 

Pesquisar Imóveis

Tipo: 
Negócio: 
Cidade: 
Bairros: 
Localização: 
Área: 
Dormitórios: 
Valor:   à 
  

Buscar por Referência

Referência: 

Indicadores

  • CUB-SC (Dez/2016): 1.644,49
  • CUB-SC (Nov/2016): 1.639,37
  • CUB-SC (Out/2016): 1.636,64
  • CUB-SC (Set/2016): 1.634,28
  • CUB-SC (Ago/2016): 1.631,74
  • CUB-SC (Jul/2016): 1.629,31
  • CUB-SC (Jun/2016): 1.613,43
  • CUB-SC (Mai/2016): 1.565,77
  • CUB-SC (Abr/2016): 1.562,99
  • CUB-SC (Mar/2016): 1.561,56
  • CUB-SC (Fev/2016): 1.558,16
  • CUB-SC (Jan/2016): 1.555,98
  • CUB-SC (Dez/2015): 1.552,90

Receber Novidades

Nome: 
Email:  

Informações Sobre as Cidades

Blumenau - SC

Um pedaço da Alemanha está encravado no Vale do Itajaí. A herança dos imigrantes está por toda parte: da arquitetura em estilo enxaimel à boa mesa, que tem o marreco recheado como prato típico. Sem contar a paixão pela cerveja e o perfil dos moradores - a maioria tem cabelos louros e olhos azuis.

Caminhar é a melhor maneira de apreciar as belas construções de Blumenau. Espalhados por uma mesma rua - a tradicional XV de Novembro - as obras ajudam a contar a saga dos colonizadores. Para não perder nenhum cartão-postal, vale a pena fazer um roteirinho que começa na ponte da Estrada de Ferro e termina no Museu da Família Colonial. Ao longo do percurso, chamam a atenção prédio da prefeitura, o Teatro Carlos Gomes, a Catedral de São Paulo Apóstolo - com uma imensa torre de pedra e bonitos vitrais -, o Castelinho do Turismo, a Fundação Cultural Blumenau e o Museu da Cerveja.

Além de abrigar os prédios históricos, a Rua XV de Novembro é centro das atenções também durante a Oktoberfest, a segunda maior festa da cerveja do mundo. É lá que acontecem os animados e tradicionais desfiles, com atração que vão das bandas e fanfarras típicas aos carros alegóricos que distribuem cerveja de graça. À noite, a festa se transfere para o Parque Vila Germânica, onde mais de 600 mil pessoas espalham-se por três pavilhões em busca de chope gelado, pratos da culinária alemã - destaque para a costeleta de porco (kassler), o joelho de porco (eisben) e os salsichões -, e muita diversão. O "carnaval fora de época" dura 17 dias, todos muito concorridos - para não ficar de fora da folia é recomendável fazer reservas de hospedagem com antecedência.

Por falar em cerveja, uma das melhores marcas artesanais do país é produzida em Blumenau. A Eisenbahn é servida durante a Oktoberfest e também no bar da fábrica, um dos points da cidade. Por lá, a pedida é experimentar as opções do cardápio do início ao fim - há pequenas amostras para o visitante degustar cada produto.

Bombinhas - SC

Escondida entre a capital Florianópolis e Balneário Camboriú – dois concorridos destinos do verão catarinense – Bombinhas chama a atenção pela natureza preservada. Com praias e vegetação de mata Atlântica por quase todos os lados, a cidade tem rígidas regras ambientais que impedem a degradação e garantem paisagens limpas mesmo na temporada, quando recebe cerca de dez vezes sua população fixa, que gira em torno de nove mil habitantes.

É na alta estação que Bombinhas, literalmente, pega fogo, atraindo brasileiros de diversos estados e muitos argentinos que chegam em busca de suas praias - das movimentadas Bombinhas e Bombas às tranqüilas Zimbros e Canto Grande. O público jovem toma conta de Quatro Ilhas, cenário dos luaus e de onde avista-se as ilhas de Arvoredo, Galés, Deserta e Macuco. O arquipélago, que compõe a Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, é considerado um dos melhores pontos de mergulho do Brasil, com águas transparentes, exuberante vida marinha e naufrágios.

Diversas trilhas repletas de bromélias e orquídeas - entre elas a Laelia purpurata, símbolo de Santa Catarina – levam a mirantes naturais como o Morro do Macaco, a 150 metros de altitude e que descortina o mais belo pôr-do-sol da região; e o Eco 360º, que revela cada recanto da cidadezinha de apenas 36 quilômetros quadrados.

Colonizada pelos açorianos, Bombinhas mantém as tradições através da gastronomia à base de caldeiradas de frutos do mar e pirões; e do folclore, sempre presente nas festas religiosas. As manifestações folclóricas podem ser apreciadas ainda no Parque Ambiental Família Schurmann, um espaço que combina ecologia, cultura e educação ambiental.

Itajaí - SC

Várias características fazem a fama de Itajaí - a infraestrutura, o importante porto, a arquitetura do século 19 e a para Brava, uma das concorridas do estado para a prática do surf. Brava, aliás, é reduto da turma jovem, que chega em busca de agito e diversão mesmo depois que a noite cai. O canto direito, conhecido como praia dos Amores, pertence a Balneário Camboriú e é um dos points mais movimentados na alta estação por conta dos bares e das boates.

As praias de Itajaí são frequentadas, também, por muitas famílias que se esbaldam nas águas calmas de Geremias e de Cabeçudas - nesta última, aproveite para passear pelos arredores e apreciar os belos casarões coloniais, além de experimentar as receitas do badalado restaurante Chez Raymond. Para curtir um ambiente mais sossegado, siga para as praias do Morcego, entre Brava e Cabeçudas; e da Atalaia, com boas ondas e freqüentada por surfistas locais.

Itajaí tem festa também na baixa estação - na primeira quinzena de outubro, os sabores e a cultura portuguesas invadem Itajaí através da Marejada. O evento é inspirado na terrinha e tem como destaque a apresentação de grupos folclóricos e musicais, além dos pratos à base de bacalhau e frutos do mar. Quem visitar a cidade em outras épocas pode degustar as delícias típicas nos restaurantes espalhados pela Avenida Beira Rio, conhecida como via gastronômica.

Merece destaque o Mercado Velho, um misto de café, restaurante e lojinhas de artesanato e de temperos, bem ao lado do Mercado de Peixe. As mesas do pátio interno são concorridas nas tardes de sábado quando acontecem apresentações de samba e chorinho. O ponto alto é quando o vendedor de cocadas - um distinto senhor - assume o microfone para cantar clássicos como La Barca. Para acompanhar, aposte nas sardinhas fritas, nos camarões e nas lulas. Ou encare uma feijoada, o prato especial do dia!

Porto Belo - SC

Várias marinas espalham-se ao longo da baía de Porto Belo, formada por praias de águas calmas e cristalinas, perfeitas para um passeio de barco. O roteiro completo leva ainda à ilha que dá nome à cidade, com excelentes pontos de mergulho e atrações históricas e culturais. Fique atento ao calendário, uma vez que os tours costumam acontecer somente entre os meses de outubro e março.

A maioria dos visitantes opta pelas escunas na hora dos passeios. São muitos os roteiros, mas para não deixar nada de fora, escolha o que inclui as praias Caixa D'Aço, Estaleiro, Bombas, Bombinhas, Sepultura e a ilha de Porto Belo. A opção agrada tanto a quem só quer sombra e água fresca como aos mais aventureiros.

A ilha é o ponto alto do passeio. Considerada um verdadeiro parque temático natural, reúne pinturas rupestres, trilhas subaquáticas e o Eco-Museu Univali, com uma coleção de fósseis de 20 mil anos - os destaques ficam por conta do esqueleto de uma baleia-de-bryde, com 13 metros de comprimento; e do crânio de toxodonte, um herbívoro da Era Glacial que pesava mais de uma tonelada. Para relaxar, siga para os restaurantes e quiosques que oferecem cadeiras, guarda-sóis, bebidas e petiscos à beira-mar.

Acessíveis também por trilhas, as bonitas praias de Estaleiro e Caixa D'Aço merecem atenção especial. A primeira, a 13 quilômetros (e dez minutos de trilha), é uma das mais tranqüilas e rústicas, protegida por pedras e costões cobertos com vegetação nativa. A areia branca e o mar transparente, perfeito para banhos e mergulhos, completam o visual. Já Caixa d'Aço, a 11 quilômetros (cinco minutos de trilha), é cercada por morros baixos e tem pequena faixa de areia. No verão, os bares flutuantes garantem a alegria dos turistas.

Fazer compras também é um bom programa em Porto Belo. Na Casa do Turista, uma lojinha apresenta as peças produzidas pelos artistas locais. Também fazem sucesso as cachaças e os licores de coco, café, chocolate e ervas fabricados no tradicional alambique do Pedro Alemão, em atividade desde a década de 60.

Quem visita a região fora da temporada de verão é brindado com um saboroso evento: a Semana Internacional de Gastronomia, que acontece no final de julho, com participação de renomados chefs do país. As delícias exclusivas do período se estendem também para os restaurantes das vizinhas Itapema e Bombinhas.